4 de out de 2009






Domingo, 4 de Outubro de 2009





Você sabia que o nosso cérebro impulsiona nossas ações para buscar prazer ou fugir da dor? Você sabia que para conseguir o que deseja, você deve descobrir o que te impede de agir?
Pense em alguma coisa que você evitou fazer até o último minuto: um relatório, por exemplo. Não é verdade que você adia simplesmente para evitar a dor - de ter que parar de fazer - algo mais prazeroso no momento? No entanto, o que acontece na noite anterior a apresentação deste relatório para seu chefe ou para uma reunião de negócios?
A protelação desaparece, pois imediatamente você acredita que não fazer será muito mais doloroso do que fazer. Sua associação mental muda subitamente! Imaginar a frustração, de chegar na reunião sem o relatório ou levar uma bronca do seu chefe, faz com que você entre em ação imediatamente.
Como podemos usar essa informação para mudar nossos resultados, para mudar nossa vida? Em vez de perguntar: “Como posso evitar essa atividade que me causa dor?”, pergunte-se: “Se eu não agir agora, o que isso vai me custar? Qual será o preço? O quão caro terei que pagar?”
Muitas vezes, a inércia da estagnação pode cobrar um preço caro em sua saúde física, em sua carreira, em seus negócios, em suas finanças ou até mesmo no relacionamento com as pessoas que você ama.
A dor pode ser sua amiga se usá-la com eficácia! Depois que você entra em ação, fica muito mais tranquilo.
Alguma vez, você já postergou ter que arrumar as gavetas do seu armário, mas depois que começou acabou arrumando o quarto e até a casa toda? Depois que a gente começa é mais fácil continuar, não é mesmo?
Para começar, precisamos fugir da dor. Portanto, não seja muito generoso quando se trata de mudanças. Pense no pior. No pior mesmo! No pior que pode acontecer se você não mudar imediatamente, se você não agir. Tenho certeza que esta reflexão fará maravilhas por você. 
(colaboração de "vencendo nossos limites")

Postar um comentário